quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

A Bluxa de Blair




The Blair Witch Project (A Bruxa de Blair, no Brasil e O Projeto Blair Witch em Portugal) é um filme estadunidense de 1999 em forma de pseudodocumentário, escrito e dirigido por Daniel Myrick e Eduardo Sánchez. Em sua terceira semana de exibição, entre 14 e 16 de agosto do ano de estreia, o filme fez sucesso nas bilheterias e atingiu um faturamento de mais de US$ 107 milhões. Alcançou os US$ 140 milhões. É um dos 100 filmes americanos de maior faturamento de todos os tempos.

Essa é a definição de acordo com o Wikipédia que ilustra o que o filme foi capaz de arrecadar financeiramente, agora imagine, final dos anos 90, o que se poderia esperar de um pseudodocumentário de horror na virada do século?! Cinemas lotados, recordes de bilheterias, e o sucesso do momento era A Bluxa de Bair, tirando o sono de muitas crianças assustadas, ou de fãs do horror do século passado que perdiam noites de sono para assistir a estreias clássicos como este e sua sequência.


Sinopse







Em outubro de 1994, três estudantes entraram nas florestas de Burkittsville, Maryland, Estados Unidos, para filmar um documentário sobre uma bruxa. Jamais foram vistos novamente. 1 ano depois, as imagens foram encontradas. 
Alegado como sendo um documentário (pois foi filmado pelos estudantes como esse intuito), o filme mostra os angustiantes e assustadores últimos cinco dias de Heather Donahue, Joshua Leonard e Michael Williams perdidos nas florestas de Burkittsville após entrevistar moradores do local, eles encontram e ouvem na floresta coisas estranhas, como gritos, choro de crianças, inexplicáveis pilhas de pedras e galhos amarrados em árvores. 

No clímax do filme, eles perdem o mapa de uma maneira irônica e alguns dias depois de muito sofrimento perdidos no meio do nada, Joshua desaparece. 

Na última noite, logo depois da famosa cena do monólogo de Heather, na qual ela deixa uma última mensagem aos seus pais dizendo que os ama, pede desculpa aos pais de Joshua e Williams e que não quer que o seu legado se perca, eles ouvem a voz de Joshua chamando-os. 

Os dois correm pela floresta até chegar em uma velha casa abandonada, onde Heather sobe as escadas com sua máquina de filmar, e depois desce até o porão. 
Ela grita histericamente e a câmera cai ao chão, ao fundo do cômodo pode-se visualizar Michael de costas o que fornece uma pista para o mistério, seguindo-se os créditos finais.




Uma das pessoas entrevistadas diz que a bruxa deixa as crianças no canto de castigo enquanto mata a outra, no caso de Williams, ele ficou no canto da parede como se estivesse hipnotizado enquanto a bruxa mata Heather, que está com a câmera.

Veja abaixo um teaser com cenas do filme.




O filme segue o estilo de horror em primeira pessoa onde as pessoas interagem mais com os acontecimentos na trama do filme, sendo algo mais interessante pra alguns e entediante pra outros.

Como todo bom filme de horror, principalmente em termos de "primeira pessoa", é necessário um pequeno ritual que consiste em assistir o filme no escuro e de preferência à noite, para ter "mellhores resultados".



Produção

Os três atores receberam aula de como manusear uma câmera e então foram levados para ficar oito dias na floresta privados de sono e alimento com apenas uma bússola e sem saber mesmo onde estavam, a produção estava camuflada e escondida no meio da floresta. Tudo foi feito para que o filme parecesse mais real. 

De dia entre os intervalos das filmagens eram dadas ideias de falas improvisadas. A noite a produção os assustavam com ruidos (sem saber que iria ocorrer a morte misteriosa de um dos personagens do elenco, "Heater"), gritos, objetos de feitiçaria, bilhetes para semear discórdia e tudo o que pode ser visto no filme. 

Eles nunca sabiam o que iria acontecer e o que iriam encontrar, pois o documentário falava de um assunto que talvez possa não existir, mas era tudo muito realista.

www.blairwitch.com


O filme na época foi criticado pelo sensacionalismo em torno do caso Heather, contudo, foi um grande sucesso, em vista de que no orçamento do filme foi investido 35 mil dólares que renderam um lucro milionário.

O site oficial de divulgação do filme continua recebendo milhões de acessos, atingindo mais de 20 milhões de pessoas apenas no primeiro final de semana de exibição do filme. 



Sequência




A Bruxa de Blair: O Livro das Sombras, é assim que se intitula o filme que segue o legado deixado pela primeira versão, nessa segunda trás uma repercussão maior em torno dos fatos, e apesar de não ter obtido o mesmo sucesso do primeiro, não deixa de ser um bom filme, bastante trash e com mais suspense e momentos de tensão que o primeiro, seguindo um estilo diferente de filmagem.

Na próxima postagem falarei sobre a sequência de A Bruxa de Blair e como o mesmo trás uma abordagem mais ampla que o primeiro, trazendo mais vivacidade e gás para o enredo cinematográfico do mesmo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário