sábado, 16 de janeiro de 2016

O que a morte significa/representa?! Parte III
















A MORTE RONDA MEUS PASSOS
NÃO TENHO MEDO DELA
JÁ VI SUA FACE
É PÁLIDA, AMIGA
JÁ ESTENDEU SUA MÃO
... NÃO TEMO, NÃO FUJO
CAMINHO AO SEU LADO

"Tatiane Lemos Portilho"



"A morte não faz sentido"

Priscila de Souza Espíndola"

 O objetivo deste texto é tentar resumir um pouco a visão de morte através da Física. 
Há anos os físicos são fascinados pela morte, a vida e morte do universo, o nascimento e morte de partículas elementares, como os quarks. Entendem a morte com uma simples transformação de energia, isso é comprovado pela equação de Einstein E= mc2, ou seja, energia é igual a massa multiplicado pela velocidade da luz ao quadrado. 
Mas o que isso quer dizer de forma prática, quer dizer que a morte não existe fisicamente, que não faz sentido a palavra morte que no latim significa "fim da existência". Nunca deixamos de existir, pois somos uma cadeia carbônica ligada a diversos elementos de transição como Enxofre, Silicio e etc., conforme a figura abaixo.




Portanto você sempre esteve aqui, nunca nasceu, e logo não pode morrer. Todos os elementos químicos, sempre estiveram aqui desde a formação o planeta. Por isso, todos seus antepassados se tornaram terra, que produziu comida, para as próximas gerações, todos os seres humanos estão ligados de uma forma ou outra, isto foi provado no Fermilab.




Toda partícula que é essencialmente o mesmo elemento químico, interfere uma com a outra, ou seja, todos nós de uma forma ou de outra interagimos uns com os outros. Voltando ao nosso amigo Einstein, ele nos diz que massa é energia e energia é massa, uma é proporcional a outra, na bomba atômica 13 gramas de urânio significaram 200mil KJ, de energia. Isso quer dizer, que podemos transformar massa em energia e energia em massa, não podemos destruir nem criar energia, assim como, não podemos destruir nem criar massa. Novamente a morte não tem sentido, pois se configura como fim de existência. 

Mas existe uma questão que intriga até mesmo os Físicos, quando “morremos” ficamos 21 gramas mais leves (GAINSBOOUR, 2004). Comprovado cientificamente e analisado através de amostras da densidade do tecido antes e após a “morte”, os que acreditam dizem que é o peso da alma, eu particularmente, acredito que sejam os fluidos corpóreos perdidos no “post mortem” que em latim e significa depois da morte. Mesmo assim, fica a dúvida, porque 21 gramas?! Bom fica aí um tema de estudo para os que se interessam pelo caso. 

Voltando a morte, quem nunca viu um fantasma?! Falando sério, é possível se produzir um ectoplasma, isso mesmo, igual ao filme dos caçadores de fantasma, é só você ter os seguintes elementos químicos C120 H1184 Az218 S5 O249 (BLACK , 1998).




James Black foi quem conduziu a experiência junto com um Físico brasileiro Carlos de Brito Imbassahy, a maneira de produzir esse ectoplasma, não foi difundida, e muitos duvidam da realidade dos fatos, segundo os biólogos, no capítulo relativo à citologia, o ectoplasma é a forma semi-material que envolve o protoplasma celular orgânico e dele seria retirada a energia para realizar os fenómenos em apreço.

Ou seja, novamente, os fantasmas também não existem, a transformação de energia comanda o universo, usamos o material que envolve o protoplasma, para gerar energia que é detectada por radiômetros, espectógrafos (energia estática), e etc.. Diversos cientistas renomados estudaram este fenômeno com o mais profundo rigor científico, como por  exemplo: o francês Charles Richet (Nobel da Medicina), Frederico Zollner (astrónomo alemão) William Crookes (físico-químico inglês), Ernesto Bozzano (etnólogo italiano), Gabriel Delanne (engenheiro francês), Gustave Geley (medico francês) e Alexander Aksakof (físico russo).

Para encerrar esse assunto de morte, não se preocupe, você sempre esteve aqui, e sempre estará, mesmo se a terra explodir, você e todos os elementos químicos serão lançados no universo, vai poder conhecer outras galáxias e outros elementos químicos, e fazendo as ligações certas, poderá ser um tipo de energia bem melhor do que esta, em que você está atualmente.
                                                                                        
* Na elaboração deste texto contou-se com a colaboração de Dr. Luciano Camargo Martins do texto Doutor em Física pela UFRGS- Professor de Física Geral– Universidade do Estado de Santa Catarina- UDESC.
 ** Licenciada em Física, pela Universidade do Estado de Santa Catarina- UDECS e Professora de Física Geral / Instituto Superior Tupy/ SOCIESC.