domingo, 22 de novembro de 2015

Nevada-Tan, a pequena assassina





















No ano de 2004, um crime cruel aterrorizou o Japão. A frieza com que uma menina de 11 anos tirou a vida de outra menina com 12 anos acabou chamando a atenção do mundo todo para mais esse caso, onde a negligência ao bullyng sofrido pela assassina contribuiu para a atitude da mesma.


Toda história se desenrola na Escola Elementária Okubo de Sasebo, em Nagasaki (Japão); uma escola como outra qualquer, em que as crianças brincam e aprendem. No colégio uma das alunas tem destaque notável graças as notas alcançadas e com um QI de 140. Seu nome é Natsumi Tsuji. Além das notas altas a menina de 11 anos ama basquete, cinema e internet.



Natsumi possui uma amiga inseparável chamada Satomi Mitarai, com seus 12 anos de idade. As duas eram amigas a vários anos e sempre eram vistas juntas, mas quis o destino que a amizade se transformasse em ódio, graças a uma discussão a respeito de popularidade. Um assunto relativamente superficial, toma proporções inimagináveis graças a certas inquietudes típicas das idades das duas.

















Na época em que a amizade das duas garotas chegou ao seu final, Natsumi já estava se envolvendo com filmes japoneses de caráter violento. Sua obra preferida era "Battle Royale", um filme considerado culto, que relata uma situação insustentável de violência juvenil. No enredo do longa o governo japonês é obrigado a largar um grupo de alunos em uma ilha, os jovens tem que matar uns aos outros. 





















Outro filmes dentre os favoritos de Natsumi é “Voice”, também japonês, conta a história de uma jovem que enlouquece e se transforma em uma assassina. Não se sabe ao certo até que ponto as histórias da ficção influenciaram Natsumi, mas a menina foi se afastando cada vez mais dos estudos e fechando-se. Criou uma página na web exclusivamente dedicada ao mundo do terror, violência extrema, hentai violento e gore com direito a mutilações, sangue e escatologia. Vale lembrar que ela tinha apenas 11 anos.


Sua colega e antiga amiga Satomi fez um comentário na internet chamando Natsumi de “gorda”. Uma pré-adolescente com a cabeça no lugar provavelmente teria ignorado o assunto, mas com Natsumi foi diferente. Ela já tinha criado algo macabro dentro de si, não saía de casa e a internet era seu único refúgio social. Sua mãe lhe obrigou a largar o basquete e dedicar seu tempo integralmente aos estudos, já que suas notas estavam indo de mal à pior.


O Crime

Apesar das duas não serem mais amigas como antes, havia ainda alguma falsa cordialidade entre ambas, até porque elas frequentavam o mesmo colégio, e não raramente se encontravam pelos corredores. Mas ao que tudo indica, o comentário feito por Satomi a respeito do peso de Natsumi não era algo que a menina de 11 anos estivesse disposta a perdoar.

No dia 1º de junho do ano de 2004, Natsumi Tsuji levou sua colega Satomi Mitarai a uma sala de aula vazia. Vendou seus olhos com a desculpa de que queria fazer um jogo com ela. Com a antiga amiga vendada, e sem mais nenhuma palavra, Natsumi degolou Satomi a sangue frio com seu estilete. Não satisfeita a menina de apenas 11 anos de idade ainda lhe causou vários outros cortes nos braços da vítima. Após isso, com a roupa e mãos ensanguentadas, voltou para a aula como se nada tivesse acontecido. Seu professor, ao vê-la coberta de sangue e com o estilete na mão, fez soar o alarme. Logo a aterradora verdade se revelaria, deixando a todos perplexos.

Os paramédicos foram chamados, mas ao chegar no local já encontraram o corpo de Satomi sem vida. Enquanto isso a polícia já estava de posse da jovem assassina, que se limitava a dizer: Fiz algo errado, certo? Eu sinto muito.”

Mais tarde descobriu-se que esse não tivera sido o único ato de violência cometido por Natsumi. Algumas semanas antes do crime a menina havia ameaçado outra colega dentro da sala de aula com o mesmo estilete que no dia 1° de junho ela usou para degolar a antiga melhor amiga.

Natsumi acabou sendo levada para a delegacia de polícia, onde passou a noite. Nos primeiros depoimentos ela havia ocultado o motivo pelo qual havia atacado Satomi, mas após algum tempo ela acabou revelando que assassinou Satomi Mitarai por causa dos comentários que a vítima havia feito na internet a respeito do seu peso.


Julgamento

A pequena assassina foi julgada em 15 de setembro de 2004 e sentenciada a 9 anos de internamento no reformatório da prefeitura de Tochigi. O governo japonês é muito discreto com a privacidade dos crimes cometidos por menores, e proibiu que os meios de comunicação divulgassem o nome da menina na época. Os noticiários a chamavam de “Menina A”. Entretanto, um jornalista da Fuji TV, não se sabe se propositalmente ou por descuido, revelou seu verdadeiro nome: Natsumi.



O crime ganha ares doentios

Na fotografia a seguir, pode-se ver Natsumi (a assassina) à esquerda e Satomi (vítima) à direita, ambas identificadas com uma flecha vermelha. Nesta foto, a menina estava vestindo um moletom azul em que pode-se identificar a palavra “NEVADA” (da universidade de mesmo nome, em Reno) em letras brancas. Foi daí que surgiu o apelido de Nevada-tan, o que, em japonês, vem a significar algo como “a pequena Nevada”, fazendo alusão à inscrição de sua vestimenta. Em outro lugares também a conhecem como Nevada-chan. Essa foto foi tirada algumas horas antes do assassinato, a última foto de Satomi viva.


A pequena bela dama assassina de apenas onze anos acaba se convertendo em um mito. Muitos indivíduos passam a idolatrar a pequena assassina do moletom de nevada na internet. 

A figura da pequena Nevada começou a ficar popular e fóruns japoneses como por exemplo o 2chan. Posteriormente outros fóruns anônimos passariam a falar do assunto, e assim criando-se um grande fenômeno envolvendo diversos grupos da internet. O meme sobre Nevada-Tan acabaria circulando o mundo inteiro. A menina foi elevada a um status de celebridade virtual, tornando-se um ícone macabro para adolescentes igualmente doentios internet afora.

Surgiram desenhos e representações, um mais sinistro que o outro. O cosplay de Nevada-tan passou a ser muito popular (como o da fotografia que encabeça este post), surgiram multidões de fanfics e fanarts do assassinato, fotografias da menina (não se sabe se reais ou não) e material de todo tipo. Um grupo alemão de música, chamado Pan!k mudou seu nome para Nevada-Tan e até o grupo australiano Love Outside Andromeda dedicou a letra “Boxcutter, Baby” para ela. Tudo justificado por um pequeno assassinato.





Menção especial ao grupo Fecal Matter Discorporated, que dedicou uma canção e um disco inteiro, segundo eles mesmos, “à ela e a todas as pequenas assassinas japonesas”.

Também apareceu uma espécie de hino ou canção na internet, segue a letra:

Essa garota com tanta raiva,
Essa garota lá da escola.
Olhe aqui, Neva,
Há algo especial em seu estilete.

NE-VA-DA!

Por favor, por favor, não me machuque.

Vai apunhalar meu pescoço.

Não, não, não! Não me mate!
NE-VA-DA!

Essa garota se tornou popular

Essa garota com seu desejo especial de “bom dia”.

Olhe aqui, Neva. 

Há algo especial em seu estilete.
NE-VA-DA!

Por favor, por favor, não me corte!

Meu sangue vermelho se espalhará por toda parte.

Não, não, não! Não me mate!
NE-VA-DA!


Liberdade

Em 2013 Natsumi ganhou sua liberdade, porém não se tem ideia do paradeiro da garota. Em muitos casos de crimes cometidos por crianças e adolescentes, governos acabam mudando a identidade dos infratores para que eles possam ter uma chance de voltar para a sociedade (isso aconteceu com Mary Bell - clique aqui para lembrar dessa bela garota).

Nenhum comentário:

Postar um comentário