sábado, 16 de maio de 2015

Quadro das Crianças que Choram
















Os quadros do Pintor G. Bragolin tem assustado muito desde que apareceu a história de que muito tempo atrás ele foi no Fantástico contar porque pintou esses quadros.

Como estava sem sucesso e sem dinheiro Bragolin fez um pacto e prometeu pintar 28 quadros que seriam amaldiçoados, isso em troca de sucesso e dinheiro. Mas depois vendo desgraças acontecerem com as famílias que compraram os quadros, arrependido, o pintor foi ao fantástico contar toda a verdade e pedir as pessoas que se tiverem os quadros em suas casa para destruir eles.

Não se sabe como os quadros apareceram na internet, hoje inclusive já existem mais de 40 espalhados, sendo que agora se confundem falsos com verdadeiros.


Esse caso me persegue a muito tempo e vice-versa, e por muito pesquisar encontrei diversas versões diferentes de tal lenda, e uma coisa que posso garantir é que o pintor Bragolin nunca esteve no programa Fantástico, pelo menos não há nenhuma evidência, o Fantástico apenas mostrou uma matéria sobre o caso dos "quadros amaldiçoados".

Resumidamente, o caso é bastante conhecido no meio do terror e assusta a muitos por sua aparente veracidade, mas vamos por partes.


A lenda

Nos anos 80 diversas casas misteriosamente pegaram fogo na Inglaterra, em eventos que muitas vezes causaram a morte de algum dos moradores. Estranhamente todas as casas tinham uma assustadora coincidência, a presença de um quadro de uma criança chorando. Este quadro sempre permanecia intacto após o incêndio, mesmo nos ambientes mais destruídos.

A lenda do quadro das crianças que choram começou na Inglaterra, e dizia que pintor responsável pelos quadros, o italiano Giovanni Bragolin, estava na miséria. Desesperado, ele apelou para um pacto demoníaco. Mas ele foi esperto. Ao invés de oferecer sua alma, ele ofereceu as almas de quem comprasse seus quadros.




Na noite do pacto, Giovanni teve um sonho, onde 28 crianças foram torturadas e sacrificadas num tipo de ritual, onde elas choravam e imploravam por clemência.

No dia seguinte, ele pegou tinta e tela e começou a fazer as pinturas para depois vende-las. As pinturas fizeram muito sucesso, e logo os quadros de Giovanni começaram a serem reproduzidos em série, tal como esses quadro que podemos comprar hoje em dia nesses bazares de esquina. Bragolin usou formas subliminares para mostrar que as crianças estavam mortas. A principal seriam as pupilas dilatadas.

Relatos contam que assim que os quadros são levados para casas, o maus agouros iam junto. Pessoas perdiam empregos, adoeciam. Quando os quadros já estavam numa quantidade considerável de lares, os incêndios começaram. Os bombeiros nunca conseguiam encontrar a causa, até que começaram a associar ao quadro pois, mesmo numa residência reduzida a cinzas, ele nunca era muito afetado.

O tabloide Sun, e em particular, seu editor Kelvin MacKenzie, publicaram uma nota em 4 de setembro de 1985, bradando a “Flamejante Maldição do Garoto em Lágrimas", alegando que a “pintura é a causa de incêndios", o Sun conseguiu criar um frenesi popular em torno da lenda.




















No auge do pânico, o Sun iniciou uma campanha para que os ingleses se desfizessem das imagens malditas. Semanas depois, conseguiu promover uma grande queima de 2.500 quadros enviados por seus leitores.






















Análise de alguns quadros


Quadro 1: No quadro existe um rosto subliminar desenhado no plano de fundo o qual destaquei o local aonde ele está inserido, parecendo uma caveira.




Quadro 2: Virada de lado, pode-se ver um tipo de animal, monstro (muitos falam ser um demônio) devorando a criança.



































Quadro 3: Pode-se ver claramente a falta de um braço, sutilmente escondido pela manta de carmim que cobrem os ombros. Também percebe-se que o braço da menina deveria ser demasiadamente grande para encontrar-se com seu cotovelo,visto que o antebraço se posiciona de forma totalmente incoerente. Após estas avaliações,infere-se que esta menina esteja esquartejada e que seu braço esquerdo esteja jogado por sobre seu corpo, ou ela foi morta e carregada por um braço de um homem como um tipo de “encomenda”. Também pode-se notar que, o que parece ser gotas de sangue escorrendo, na verdade é sua manta desfiando.






















Em museus da Europa é possível se encontrar as réplicas e os originais. Foram muitos os quadros pintados com este tema.

Giovanni Bragolin conhecido também como Bruno Amadio pintou também outros quadros, a maioria entretanto ligado ao estilo natureza morta.

Em uma das variações da lenda, Giovanni Bragolin teria fugido para a Espanha durante a segunda guerra mundial. Nesse período ele esteve na miséria, e teria feito um pacto com o diabo visando vantagens financeiras. Em troca dos favores ele ofereceu seus serviços ao diabo, que teria incumbido Bragolin de uma missão, e que assim que ele a cumprisse ele deveria pintar quadros a respeito, e assim vendê-los. O pintor teria incendiado um orfanato, causando a morte de várias crianças. Apos esse evento ele teria pintado os quadros das crianças que choram, retratando diferentes tipos de mortes para elas.

Confira abaixo alguns dos mais conhecidos quadros.
























Particularmente, admiro muito essas obras e pretendo decorar meu lar com as mesmas, espero que o mesmo não pegue fogo, de qualquer maneira, querendo ou não são belas obras de arte.