quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Famosas lendas urbanas brasileiras (parte II)





















O que não falta por aí são lendas de terror, verídicas ou não, algumas são contadas tão frequentemente que se tornam "clássicas".


Confira algumas lendas famosas brasileiras logo abaixo.



Homem do Saco

Essa aqui já fez muitos pirralhos chorarem de medo. Isso porque, como reza a lenda, um velho com um saco vive capturando crianças que andam sem a companhia de um adulto. Há ainda quem complete a história, dizendo que os que são pegos pelo velho acabam virando sabão e botões (algo que acho absurdo, no mínimo tais crianças viram escravas sexuais ou tem os órgãos retirados para venda).



Lenda do Opala Preto


Para essa aqui existem duas versões muito conhecidas: a primeira conta que um tal Ubiratã Carlos de Jesus Chavez, conhecido bandido do Rio de Janeiro na década de 70, usava um antigo Opala em suas fugas. Certa vez, no entanto, ele entrou em um túnel, bateu o carro, mas não sobreviveu. Mesmo assim, há quem diga que o Opala preto continuava “vivo” e perseguia outros carros que entravam no túnel a noite.



Já, a segunda versão da história diz que um Opala preto estava sequestrando crianças em bairros da zona sul, retirando seus órgãos e vendendo. Para atrair as crianças, o motorista do carro oferecia pirulitos e doces. Essa, aliás, é a parte mais conhecida da historia e, felizmente, a mais próxima da realidade.


A Fantasma Caroneira


Essa lenda também é conhecida fora do país. Na versão brasileira, que é a que vamos tratar aqui, uma garota pede um táxi próximo a um cemitério e pede para dar uma volta pela cidade e retornar ao mesmo lugar onde estava. Assim é feito, mas no final da corrida, o taxista é instruído para ir receber seu pagamento na casa dos pais da garota. Inocente, o homem segue o caminho indicado, muito embora fique sabendo que a tal menina que havia entrado em seu carro já não estava mais entre os vivos.



A Gangue do Palhaço


Dizem que, na década de 60, um homem fantasiado de palhaço aterrorizou os Estados Unidos, saindo às ruas para matar crianças. Não se sabe porque, mas só em 1990 um famoso jornal de São Paulo resolveu escrever sobre o caso. A consequência disso foi uma espécie de histeria coletiva em Osasco, onde as pessoas não paravam de comentar o boatos de que um palhaço assassino estava solto por lá.



A lenda acabou se espalhando por todo o estado, embora não houvessem provas de que o caso fosse real. No final das contas, as pessoas já não contavam mais sobre um só matador, mas sobre uma gangue inteira de assassino de criancinhas vestidos como os famosos personagens dos circos, que andava por aí em um Komb azul, prontos para arrancar os órgãos dos pequenos.

Fonte das lendas: Fatos Desconhecidos

Outras partes dessa postagem.

Famosas lendas urbanas brasileiras (parte I)
Famosas lendas urbanas brasileiras (parte II)

Nenhum comentário:

Postar um comentário