quarta-feira, 30 de julho de 2014

Surto de Ebola fora de controle

Surto de virus Ebola fora de controle, vírus que mata, ONU, arma biológica
A pior epidemia de Ebola da história, como classificou Organização Mundial da Saúde (OMS), já infectou mais de 1.000 pessoas e matou ao menos 660 no oeste da África. A doença, para a qual não existe cura ou vacina, é conhecida por ser altamente transmissível e mortal: a taxa de óbitos entre infectados pode chegar a 90%. Neste fim de semana, com a confirmação do primeiro óbito na Nigéria, o surto passou a afetar quatro países, incluindo Serra Leoa, Guiné e Libéria.

Para você que não sabe do que se trata tal vírus, o vírus Ebola foi descoberto em 1976 a partir de diagnósticos simultâneos na República Democrática do Congo e no Sudão, na África. Ele provoca uma grave doença conhecida como febre hemorrágica Ebola, que pode afetar seres humanos e primatas, como macacos e chipanzés. O surto de Ebola pode chegar a provocar a morte de 90% das pessoas infectadas. Atualmente, não existe vacina e nem cura para a doença.



O Ebola é transmitido de pessoa para pessoa principalmente a partir do contato direto com sangue, secreções e outros fluidos corporais de pessoas infectadas. A transmissão também pode acontecer a partir do contato com ambientes e objetivos contaminados por esses fluidos, como roupas. Segundo a OMS, não há risco de contágio no período de incubação do vírus — ou seja, entre a infecção e os primeiros sintomas. No caso do Ebola, esse tempo pode variar de 2 a 21 dias. 

Isso é, a pessoa que foi infectada só descobre que está infectada após 20 dias, quando os sintomas começam o surgir, o que encurta muito o tempo de vida da pessoa infectada, podendo morrer em até duas semanas.


Sobre os sintoma, a doença costuma aparecer com quadros de febre, fraqueza e dores musculares, de cabeça e de garganta. Em seguida, surgem sinais como náusea, diarreia, feridas na pele, problemas hepáticos e hemorragia interna e externa. 


Como ressaltei anteriormente, não existe um tratamento específico para a febre hemorrágica Ebola. Pacientes graves recebem cuidados intensivos, que incluem reidratação oral e intravenosa, e devem ser isolados e receber a visita apenas de profissionais de saúde que seguem todas as medidas de prevenção contra a infecção.


O Ebola é considerado uma arma biológica, criada em laboratório com objetivos desconhecidos. A seita Verdade Suprema, que faz ataques terroristas biológicos e químicos tenta conseguir uma amostra do vírus. (Essa mesma seita realizou o famoso ataque do gás Sarin no Japão, no ano de 1995, deixando 5 mil pessoas hospitalizadas).


Em minha opinião, armas biológicas são criadas com diversos objetivos, acredito que um desses objetivos sejam lucrar. Pense bem, você cria um vírus mortalmente perigoso que ataca de maneira agressiva, matando em poucos dias, cria todo um teatro por cima disso, e tempos depois surge com um tratamento para o mesmo baseado em grandes custos. Não é atoa que com tantos anos de pesquisa, nunca foi descoberta uma cura definitiva para doenças como o câncer e a AIDS, e sempre que alguém chega perto de tal descoberta, acaba morrendo de maneira trágica. Mas pensando bem, para que criar uma cura se você pode lucrar imensamente com tratamentos alternativos que custam mais do que muitos podem pagar?! É assim que pensa a indústria farmacêutica. 


Isso sem falar no potencial que uma arma biológica de tal porte possui, algo do tipo nas mãos de terroristas, causaria muito mais dano que qualquer atentado já visto.


Esses acontecimentos me lembram de certo modo a franquia Resident Evil, e mostram que a ficção não é algo muito longe da realidade, a diferença está apenas nos detalhes.


Fonte das informações: Veja