terça-feira, 3 de novembro de 2015

CQC grava quadro em Itapipoca - ProtesteJá

























Itapipoca, do indígena, Ita significa pedra e Pipoca lascada, referência a uma beleza natural que é símbolo da cidade, a Pedra Lascada, a cidade também é conhecida por ser a Terra dos Três Climas, já que possuímos Praia, Serra e Sertão.


Estava assistindo mais cedo a entrevista que o CQC gravou dando ênfase no descaso que acontece em Itapipoca, uma cidadezinha com pouco mais de cem mil habitantes, boa parte vivendo do comércio diversificado que possuímos. No clipe da minha música "Asas" em que falo sobre a liberdade que posso possuir dentro de Itapipoca para expor minhas ideias, a conhecida liberdade de expressão, porém são as críticas que ajudam evoluir, isso depois da força de vontade, e é isso que nós, ou pelo menos a maioria dos Itapipoquenses possuímos, força de vontade.



Força de vontade de sair em meio ao sol quente disposto a enfrentar os espinhos para conquistar as rosas (por aqui é mais fácil encontrar cactos). Não costumo discutir política, isso desde pequeno quando comecei a frequentar a histórica Biblioteca Municipal daqui de Itapipoca, buscando algum livro que me despertasse a atenção, lembro que me deparei com uma estante repleta de livros, na categoria estava estampada a palavra "Política", o problema é que os livros estavam muito sujos, empoeirados, naquela época vi apenas uma parte da sujeira, mas ao tomar posse de tais livros e lê-los percebi que (a sujeira) era bem maior do que eu pensava.

Vamos supor que a política seja uma relação sexual onde uns fazem por prazer, outros por interesse, e alguns até por dinheiro, nessa suposição eu sou assexual. Isso é, não gosto de foder com a política, nem que ela foda comigo.


A briga pelo poder está se tornando uma guerra, o problema é que o poder muitas vezes corrompe, e no fim todos podem cair, até os que não estavam envolvidos e nem tinham culpam de nada, o justo paga pelo pecador como diz a bíblia. Mas além de "pecados" também pagamos impostos em prol de melhorias, porém se as melhorias não aparecem todo o processo para de funcionar e cai em desequilíbrio, como o gira-gira que havia na praça da fazendinha, quebrado assim como os outros brinquedos que serviam de lazer para as crianças, uma praça onde convivi toda minha vida, afinal sempre morei no mesmo bairro e na mesma casa, a praça foi reformada alguns anos atrás e até hoje não colocaram boa parte dos bancos, sem falar no "finado parque infantil" que havia antes ali, atualmente apenas desperdiçando espaço, porém melhor que antigamente com brinquedos quebrados que machucavam as crianças, porém o que me intriga é o excesso de concreto e a ausência do natural. Em minha concepção, em uma região onde o clima é basicamente infernal o mínimo que deveria haver eram MUITAS ÁRVORES para produzir não apenas o oxigênio que nos mantém vivos, mas também fazer sombra, um parque de reflorestamento talvez. .


Esse é apenas um pequeno exemplo, os outros você pode conferir na matéria do CQC (logo estarei postando em meus blogs), vale ressaltar que temos apenas uma biblioteca não muito frequentada, porém com os mesmos frequentadores. Os livros são antigos (não que seja ruim, pelo contrário), porém não há livrarias por aqui.


Isso foi e é um problema, pode-se chamar "ferida cultural", mas com ajuda do amor pela leitura, dando ênfase para a Biblioteca Municipal de Itapipoca, onde saciei e continuo saciando minha fome de leitura, e graças a minha auto-dedicação tenho meu livro exposto na mesa de autores da terra da biblioteca onde sempre peguei livros desde infância, o que me desperta nostalgia. O livro que intitulei "Verdades que guardo comigo" guarda uma minúscula visão de mundo de um adolescente que busca apenas se expressar perante aos problemas e prazeres da vida, e sendo esse adolescente, afirmo que podemos melhorar em muitos pontos, vivemos em um labirinto que nos derruba constantemente em contradições.


Itapipoca é uma boa cidade e pode melhorar muito mais, de qualquer maneira o máximo que posso fazer é escrever um texto como estou fazendo, não possuo o poder ou o dinheiro que o governo possui. Na entrevista é possível ver obras milionárias de tempos atrás que até hoje não foram realizados, todos os dados foram expostos sem censura, inúmeros zeros à direita, por que essa demora?


Por que esse descaso? Sem falar na CRISE em que o nosso país está. Até onde podemos chegar? O gigante acordou? Ou foi somente um sonho? Mas a melhor pergunta é: Até quando viveremos nesse pesadelo da CORRUPÇÃO?


Muitos que assistiram a matéria e não conhecem Itapipoca não devem saber, mas um famoso humorista que embarcou na política nasceu e começou sua carreira aqui, em Itapipoca, o que é irônico, afinal Tiririca viveu nos circos, e a situação do Brasil é pra rir mesmo, e sadicamente.


O evento de lançamento do "Verdades que guardo comigo" foi realizado na Feira Literária Cândido Teixeira, realizada na Praça da Matriz com apoio da secretaria de cultura e da prefeitura, alguns dos escritores de Itapipoca se reuniram em um evento de lançamento de livros, em uma noite de autógrafos que contou com a presença do prefeito Dagmauro.


A noite começou quando o prefeito subiu ao palco desejando uma boa noite a população e logo após chamando os escritores ao palco, um a um, para receberem o diploma do evento e dar uma obra ao prefeito (eu me pergunto até hoje se ele realmente leu o livro que segura na foto?).


O evento foi bom, afinal não é todo dia que se realiza um sonho de infância, o simples fato de saber que alguém se interessa em comprar algo que saiu da minha mente me encanta,. A solidariedade anda lado a lado com a literatura, onde o autor compartilha pensamentos e sentimentos com o leitor.


A noite começou quando o prefeito Dagmauro subiu ao palco desejando uma boa noite a população e logo após chamando os escritores ao palco, um a um, para receberem o diploma do evento e dar uma obra ao prefeito (eu me pergunto até hoje se ele realmente leu o livro).


A foto que ilustra esse texto marca o momento em que estive ao lado do sujeito que guarda a chave da cidade onde moro, eu só tinha uma pergunta a fazer naquele momento: "Você realmente se importa com a cultura?", porém eu estava mais preocupado em chegar até a minha mesa onde leitores me esperavam.

Na fotografia é possível observar que olhamos para lugares diferentes, talvez por almejar caminhos diferentes, ou apenas um desvio de atenção, coincidência. De qualquer maneira a matéria foi ao ar hoje deixando claro as brechas que há na política de nossa cidade.

Aguardo o prefeito se manifestar, afinal quando a matéria foi gravada o mesmo estava em Fortaleza (de acordo com funcionários da prefeitura), vale ressaltar que uma mulher praticamente agrediu o repórter irritada com as perguntas. Será que a verdade incomoda ou a mentira conforta? .


Fica aqui meus pontos de interrogação, sabemos que a corrupção é real e a situação de Itapipoca poderia melhorar, é por isso que destaco um questionamento principalmente aos que moram aqui em Itapipoca:


O que vocês pensam sobre isso tudo?


Autor: David Alves Mendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário