segunda-feira, 20 de julho de 2015

As visões pós-apocalípticas de Zdzislaw Beksinski





















Zdzislaw Beksinski foi um renomado artista polonês que nasceu em 24-02-29 e faleceu em 21-02-05. Beksinski foi pintor, fotografo, escultor e, já no final da vida, começou com arte digital. Nasceu na cidade de Sanok, sul da Polônia e depois de estudar arquitetura mudou-se para Cracóvia para trabalhar como supervisor de construção, mas o que lhe fascinava na época era fotografia artística e fotomontagem, além de escultura e pintura. Na época fez esculturas de gesso, metal e fios e produziu diversas fotografias com paisagens e objetos obscuros e acidentados típicas da arte gótica e barroca. Mais tarde concentrou-se nas pinturas com temas abstratos e puxando mais para o lado do surrealismo e fazendo as vezes referências à arte de de Bruegel, Ernst ou Bosch e ao contemporâneo suíço HR Giger.

Uma exposição feita em Varsóvia, em 1964, confirmou o esplendor de seu talento, uma vez que conseguiu vender todas as obras.


Beksinski então, se atirou com afinco na pintura, trabalhando sempre ao som de música clássica. Ele logo se tornou a principal figura contemporânea arte polonesa e adotou o gênero “fantasy art” até meados da década de 1980. Nesta fase de sua vida artística, Beksinski teve a fase mais produtiva criando obras com temas apocalípticos, ambientes surrealistas e obscuros, sempre carregados de uma atmosfera pesada e muitos detalhes. Beksinski afirmou: "Eu gostaria de pintar de tal forma como se eu fosse fotografar os sonhos".

















Segundo o próprio artista, suas obras não foram bem interpretadas, pois algumas delas eram bastante otimistas e outras até bem-humoradas. Mas a crítica não aceitou este argumento, pois nem Beksinski conseguia explicar o significado de algumas obras e ainda se recusou a fornecer os títulos de algumas pinturas. Antes de se mudar para Varsóvia, em 1977, ele queimou uma seleção de suas obras em seu próprio quintal, sem deixar nenhuma documentação sobre elas. Ele mais tarde afirmou que algumas dessas obras eram "muito pessoais", enquanto outras não eram satisfatórias, e ele não queria que as pessoas as vissem.




















A década de 1980 foi o período em que marcou a transição de Beksinski. Durante este período, suas obras tornaram-se mais popular na França, e ele atingiu uma popularidade significativa na Europa Ocidental, nos Estados Unidos e no Japão. Entre a década de 1980 e início de 1990, a arte de Beksinsi mudou bastante. Segundo o artista “eu estou indo em direção ade uma maior simplificação do fundo e ao mesmo tempo um considerável grau de deformação das figuras que estão sendo pintadas sem o que é conhecido com a luz e sombra natural (...)”.





















Nos últimos anos da vida, Beksinski se dedicou a fotografia digital e foto-manipulação por meio do computador.

Em 21 de Fevereiro de 2005, Beksinski foi encontrado morto em seu apartamento em Varsóvia com 17 facadas em seu corpo; duas das feridas foram determinadas pelos legistas como as punhaladas fatais. Robert Kupiec, filho adolescente de um amigo de Beksinski, que mais tarde se declarou culpado, e um amigo foram presos logo após o crime. Em 09 de novembro de 2006 Robert Kupiec foi condenado a 25 anos de prisão, e seu cúmplice, Łukasz Kupiec, a 5 anos pelo tribunal de Varsóvia. Antes de sua morte, Beksinski se recusou a emprestar a Robert Kupiec algumas centenas złoty (aproximadamente US$100,00).

Em 2006 um museu dedicado a Beksinski foi inaugurado na cidade de Sanok na Polônia. No museu está exposto cerca de 50 pinturas e 120 desenhos do artista.

Confira algumas de suas obras.


























Nenhum comentário:

Postar um comentário