terça-feira, 25 de novembro de 2014

Changelings
























Na Grã-Bretanha medieval, acreditava-se que as fadas podiam roubar uma criança e substituí-la por outra, um changeling , em seu lugar. Uma história muito interessante é a de um ferreiro, cujo filho, geralmente um rapaz saudável e alegre, caiu de repente em letargia, definhando tão rápido que todos pensavam que ele fosse morrer. Depois do menino estar nessa condição por um longo tempo, um velho aproximou-se do ferreiro para dizer–lhe que o rapaz  poderia ser um changeling.


Para certificar-se, o velho propôs um teste: colocar um pouco de água em cascas de ovos vazias e organizá-las em torno do fogo, à vista do menino. O ferreiro seguiu as instruções na frente do jovem, que, em seguida, sentou-se no seu leito e exclamou: "Eu tenho 800 anos de idade, mas nunca vi nada semelhante!" Esta seria a confirmação de que o garoto era, na verdade, um changeling.  Então, o velho disse ao ferreiro que seu filho verdadeiro  teria sido sequestrado pelas fadas e mantido prisioneiro em uma colina próxima, por  elas frequentada. O ancião também aconselhou o pai a se livrar do changeling, acendendo uma fogueira e jogando o impostor nela.

Assim fez o homem, então, o changeling soltou um grito, saltou através do telhado e desapareceu. Armado com apenas uma Bíblia, o ferreiro resolveu invadir o domínio das fadas para resgatar seu filho, vendo-o entre as fadas, ele exigiu que o rapaz fosse libertado. As fadas não podiam atacá-lo, porque ele estava protegido pela Bíblia, de modo que o deixaram partir com seu filho para fora da colina.

Ao longo  da história, na Grã-Bretanha, as pessoas muitas vezes realizaram testes semelhantes para determinar se um bebê suspeito era um changeling. Um desses testes consistia em colocar um sapato em uma tigela de sopa na frente de um bebê. Se ele risse, isso significava que entendia o trote e era considerado um farsante.  A lenda do changeling permitiu que as pessoas medievais explicassem as  mortes prematuras em crianças, bem como doenças da infância, deformidades físicas e deficiências mentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário